“A partir do próximo ano, pais ou mães poderão sair mais cedo do trabalho para acompanharem os filhos em casa. O Governo pretende utilizar fundos europeus para estimular a natalidade e o emprego a partir de 2014 e existe já uma proposta para que os trabalhadores que saírem mais cedo para estar com os filhos terão a redução de ordenado compensada por verbas estatais, revelou o “DN”.

 

A proposta, anunciada ontem no Parlamento pelo ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, será discutida em sede de concertação social. “Uma mãe ou um pai pode vir mais cedo para casa, pode eventualmente vir a trabalhar apenas meio dia que o Estado suporta o restante”, disse o ministro.

 

A medida, que visa impulsionar a natalidade e a criação de emprego, será possível de concretizar recorrendo a fundos comunitários já no próximo ano: as empresas pagam a parte do salário correspondente à carga horária laboral que o trabalhador fará, o QREN o restante. Qual o valor dessa comparticipação, a que famílias se aplicará, para filhos de que idades e durante quanto tempo, ainda são incógnitas que o ministério de Pedro Mota Soares não esclareceu.

 

A Confederação Nacional das Associações de Família (CNAF) congratulou-se com o uso de verbas europeias para suportar a “empregabilidade parcial”. Em comunicado, a CNAF refere que a medida dará “maior apoio aos pais”, antes e depois do nascimento dos filhos, e “na sua relação com a entidade empregadora”.

 

A CNAF espera que a medida se concretize em breve e represente “o início de uma atitude de maior apoio às famílias por parte do Governo”, alargando a iniciativa ao acompanhamento de idosos, refere a “Lusa”.”

Fonte: www.paisefilhos.pt